Carijada em Lomba Grande

Texto de Cátia Cilene, jornalista.

Vivência inesquecível. 

Uma revolução em nossas mentes corações. Construir o carijo, produzir as camisetas, mutirao alimentaçao, receber na semana o Moises da Luz e a Helena (Buenos Aires); fazer a poda, o fogo, o sapeco, a ronda durante 17 horas da secagem da erva-mate, o cancheamento, o soque e a degustação da bebiba. Sabor e aroma bem peculiar, aquele defumado gostoso.

Os momentos de cozinhar com muitas mãos!

A caminhada no Quilombo;  Compartilhar o resultado; Mistica das falas e continuidade.

🤎 Viva o carijo!! 

🌎Viva a cultura indígena Haux haux e os fazeres campesinos! 

Viva a agrofloresta e a agroecologia!Salve o biólogo Moisés da Luz que veio de Panambi nos repassar seus saberes nesta arte do carijo.

🌱🧉🧡.Esta carijada rolou na sede do Banco de Tempo Lomba Grande, promovida pelo Araçá – Grupo de Consumo Responsável (araca.eco.br), com parceria de Agrofloresta Garupá, Produtos Biocêntricos e Circular Alimentos, e apoio do organismo agrícola Família Bühler e Coletivo Catarse..

Alguns dos belíssimos momentos registrados por Bruno Prates e outras/os participantes da Carijada.

#carijo #carijada #ervamate  #agrofloresta #agroecologia #culturaindígena #ecosol #plantiocoletivo #ervaartesanal #vivência #coletivos #saberes #partilha #consumoresponsável #cultura #revolução #abundância #vibração #fogo

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0
    0
    Sua cesta